Manobras da massagem para cães I

Uma rotina de massagem compõe-se do uso de distintas manobras. Uma manobra é uma manipulação, com um objetivo concreto, das estruturas corporais usando as mãos, os cotovelos ou outros instrumentos: vibradores mecânicos, aparelhos de madeira ou plástico ou massajadores que podem incorporar calor ou vibração.

Cada uma das diferentes manobras persegue um objetivo e provoca efeitos particulares (sedação, excitação, hiperemia, relaxação, estiramento, aumento do tónus muscular, drenagem de fluídos, etc).

Os cães, ao contrário dos cavalos, não se habituam à utilização de grandes aparelhos de vibração. Podemos utilizar massajadores, mas usam-se principalmente as mãos. A intenção da massagem é quase sempre a relaxação do animal e portanto utilizaremos técnicas muito suaves, lentas e de sedação.

As principais manobras de massagem são: o contacto passivo, o roce superficial e profundo, as fricções, as vibrações, as percussões e o amassamento. Dentro destas manobras há variações e ritmos diferentes que variam segundo os objetivos do tratamento.

Contacto passivo ou passive touch

Trata-se de uma técnica introdutória que pretende tratar e avaliar.

Deixamos a mão quieta sem realizar nenhum ação consciente em cima da pele do cão. A ação será de escuta. Devemos escutar o que nos diz o corpo do cão que estamos a tratar. A atitude de escuta permite notar ou sentir a reação do corpo ao nosso contacto.

Muitas vezes, notam-se movimentos rítmicos de elevação e descensão ou de espiral debaixo das nossas mãos. O mais provável é que se trate do movimento das fáscias.

Em qualquer caso, a sensação de tensão num tecido, contratura muscular, temperatura, sensibilidade, são aspetos que devemos avaliar e recordar para fases posteriores da massagem.

O contacto já é por si mesmo, muitas vezes, terapêutico, ainda que esta técnica tenha uma componente de exploração ou avaliação. O simples ato de tocar uma estrutura com carinho funciona como uma “injeção terapêutica” que pode melhorar a característica do tecido.

Roce (effleurage)

Esta técnica realiza-se deslizando as mãos planas sobre a pele do cão na direção das fibras musculares que há debaixo. A pressão que exercemos é muito suave. Não se devem mover as estruturas subcutâneas. O roce é uma manobra onde o efeito mecânico incide unicamente sobre a pele. Os efeitos sistémicos e sobre o tecido muscular subjacente dão-se de modo reflexo e por mediadores químicos.

Realizamos um roce no início e fim da rotina da massagem ou quando há muita sensibilidade e não podemos usar manobras mais agressivas.

Os principais efeitos fisiológicos que o roce provoca são:

  • Sedação local

  • Aumento da temperatura cutânea

  • Vasodilatação superficial

  • Diminuição da sensibilidade cutânea

  • Relaxação

Podemos distinguir entre o roce superficial que será uma técnica introdutória realizada com uma mão ou com as duas de forma independente ou coordenada, e o roce profundo em que fazemos mais força e utilizamos as duas mãos (uma em cima da outra) para ganhar profundidade e força.

Durante o roce superficial é importante não perder o contacto com o cão, pelo que se recomenda usar alternadamente uma mão e outra.

Fricção

Realizamos a fricção colocando a mão sobre a estrutura que queremos tratar e aplicando um movimento de “vaivém” rápido e intenso. Efetuamos pressão e movemos a mão na direção das fibras musculares subjacentes.

A fricção tem um forte efeito mecânico sobre a pele e as estruturas musculares e tendinosas mais superficiais. Também podemos aprofundar aplicando maior pressão. A energia mecânica do próprio roce gera um aumento considerável da temperatura local.

A pressão que realizamos varia segundo a estrutura que queremos tratar: leve para a pele e tecido subcutâneo, moderado para tendões e musculatura superficial e forte para planos mais profundos de musculatura.

Podemos realizar as fricções com a mão plana, com as eminências tenar e hipotenar e com a ponta dos dedos.

A fricção tem um componente de efeitos mecânicos diretos mais importantes que o roce mas também ocasiona uma série de reações sistémicas e sensitivas destacáveis.

Os principais efeitos fisiológicos são:

  • Elimina células mortas

  • Elimina aderências de cicatrizes

  • Reduz as contraturas e tensões musculares

  • Ativa a circulação venosa e linfática

  • Diminui a fibrose

  • Dilata capilares

  • Favorece o aumento do tónus e diminui a atrofia muscular

  • Ativa de forma reflexa os centros vasomotores

  • Reabsorve derrames, edemas e exsudatos

Há uma técnica específica para tratar tendões: fricções profundas ou massagem transversal profunda ou de Cyriax.


Equipa técnica da Ortocanis

ortocanis.com