O excesso de peso em cães e gatos com problemas ortopédicos

Dentro dos hábitos e tratamentos que devemos ter em conta com qualquer cão com problemas ortopédios, manter um peso ideal é o mais importante.

sobrepeso perro

Consequência do excesso de peso e da obesidade

O excesso de peso tem vários efeitos negativos sobre o sistema músculo-esquelético:

  • Faz com que as articulações tenham que aguentar mais peso, provocando deformação, inflamação e dor.

  • Segundo investigações recentes, o tecido adiposo não é só um depósito de energia. Na realidade, tem muitos efeitos sobre todo o corpo e um deles é manter um estado inflamatório crónico. É por isso que cães com problemas articulares ou dermatites alérgicas pioram o quadro clínico ao ganhar peso.

  • Além disso, todos os órgãos e sistemas serão afetados em maior ou menor medida pelo excesso de gordura. Com isso estão relacionados o aparecimento de diabetes mellitus (muito frequente em gatos), cancro, doenças hepáticas (lipidose hepática, potencialmente mortal em gatos), problemas cardiorrespiratórios, fadiga, dermatite, etc.

O aumento de peso é um “círculo vicioso”

O tecido adiposo faz aumentar a sensação de fome do animal, mas este tecido não consome energia, pelo que o cão comerá cada vez mais, mas continuará a queimar o mesmo, resultando num aumento de peso constante.

O aumento de peso provoca desconforto nas articulações e dificuldades respiratórias, por isso o cão diminuirá a sua atividade, o que favorecerá ainda mais os depósitos adiposos.

O dono do animal, ao vê-lo cada vez mais apático, tenderá a encurtar os passeios e a brincar menos com ele, o que provocará mais aumento de peso.

O meu cão tem excesso de peso. O que faço?

O peso depende apenas de dois fatores: as calorias de energia ingeridas e as calorias de energia gastas. A menos que alguma doença do animal o impeça, devemos atuar sobre ambos fatores:

Diminuir a energia ingerida: é importante nunca diminuir a quantidade de ração indicada pelo fabricante, já que não estaremos apenas a subtrair calorias e gordura, mas também vitaminas, minerais, e outros nutrientes que pode levar a um déficit nutricional no animal. A solução é usar rações específicas para a perda de peso, que mantêm a quantidade de nutrientes essenciais, mas que são baixos em calorias. No caso de ter animais idosos ou com alguma patologias, peça sempre orientação de um veterinário antes de fazer qualquer mudança na dieta.

Aumentar a energia gasta: devemos quebrar o círculo vicioso do que falámos anteriormente. Para isso, devemos manter uma atividade física moderada e constante. À medida que o animal vá perdendo peso (com a ajuda das mudanças na alimentação), podemos ir subindo a intensidade, já que o animal o tolerará cada vez melhor. Como fazemos isto com os gatos? Aumentamos o número de brincadeiras e jogos. Uma boa idea que os “obrigará” a brincar é esconder parte ou a totalidade da sua ração de comida em sítios altos ou cantos da casa. Ao aumentar o estímulo da busca e caça, aumentaremos a sua actividade, metabolismo e bem-estar mental.

E se o meu animal não se pode mover com facilidade?

O procedimento será o mesmo que num animal saudável. Mas conseguir um aumento da atividade física poderá ser mais complicado. Por isso, e sempre com a orientação do seu veterinário, deve ajudá-lo a mover-se ou a estimular a musculatura. Isto pode conseguir-se através de:

  • Reabilitação e eletroterapia

  • Uso de anti-inflamatórios que permitem diminuir a dor e aumentar a vontade de fazer exercício. O uso de condroprotetores de maneira crónica também pode ajudar a conseguir este efeito.

  • Uso de ajudas técnicas que reduzam a dor (por exemplo: um protetor de joelho em animais com lesões no ligamento cruzado) ou que o ajudem a poder manter-se em pé (por exemplo, uma cadeira de rodas para cães com debilidade nos membros posteriores).

Tutore ginocchio per cane

Laura Pérez

Veterinária da Ortocanis

ortocanis.com