A insolação em cães e gatos

Golpe de calor en perros

“A insolação (ou golpe de calor) é um síndrome de lesão de todos os órgãos do corpo causado por um aumento significativo da temperatura. Quando ocorre, o animal perde a capacidade de regular a sua temperatura, o que, se não se agir, pode ser mortal.”

A regulação da temperatura corporal em cães e gatos

Os cães e os gatos são muito mais sensíveis ao calor que os humanos porque os mecanismos que regulam a sua temperatura são menos eficazes. Esta regulação é feita através da:

1- Respiração: dissipam calor por evaporação

2- Irradiação de calor para fora do corpo: basicamente produz-se em zonas desprovidas de pêlo. Sendo a mais importante o ventre.

A insolação

A ocorrência da insolação dependerá tanto dos graus de temperatura a que chegue o interior do corpo do animal como do tempo de exposição ao calor. Considera-se que a partir de 42,8ºC de temperatura retal se produzem lesões internas, mas apenas a 40,5ºC o mesmo pode acontecer.

Sintomas

Deve prestar-se atenção aos sintomas já que estes vão variando à medida que os danos internos vão progredindo.

Primeira fase: ofego, excesso de saliva, aumento da frequência cardíaca, mucosas congestivas* (vermelhas-acastanhadas), excitação e hiperatividade.

Segunda fase: aumento da frequência respiratória, sangue nas fezes ou no vómito, alteração das pupilas, mucosas pálidas (brancas-cinzentas).

Terceira fase: mucosas cianóticas (azul-lilás), aparecimento de petéquias pelo corpo (pequenos pontos vermelhos), hemorragias, embolias, tremor, convulsões, desmaio, coma.

Mucosas congestivas

Mucosas cianóticas

Petéquias

*Mucosa: tecido húmido que cobre certas partes do interior do corpo, por exemplo, interior da boca, nariz, ânus, vagina, etc. O melhor lugar para observá-las num cão é no interior dos lábios.

Tratamento

A INSOLAÇÃO É UMA URGÊNCIA E REQUER ATUAÇÃO IMEDIATA POR PARTE DE UM VETERINÁRIO. Tenha em conta que se os sintomas começarem, sobretudo se já estiverem na segunda fase, ainda que ponhamos o cão num lugar “fresco”, a insolação pode evoluir para o estado 3 e ter complicaçções potencialmente letais.

O que podemos fazer? Primeiro devemos afastar o cão da fonte de calor; humedecer o seu pescoço com panos ou spray (para baixar a temperatura do sangue que vai para o cérebro e evitar lesioná-lo), o ventre (uma vez que tem menos pêlo pode perder mais calor) e a ponta do nariz (para refrescar o ar que entra para os pulmões). Levá-lo imediatamente ao veterinário.

Durante o trajeto. Não faça o seu cão andar! Se vai de carro, ligue o ar condicionado. É preferível que haja outra pessoa a humedecê-lo durante o trajeto.

No veterinário. É muito provável que o animal fique internado, já que a insolação pode provocar sequelas graves que se começam a ver ao fim de algumas horas: embolias, hemorragias, insuficiência renal aguda, insuficiência hepática, danos cerebrais, etc. Será imprescindível o soro intravenoso e a terapia para evitar a formação de coágulos sanguíneos.

Prevenção

  • Ter sempre água disponível

    Pettorina rinfrescante per cani

  • Dispôr de zonas de sombra

  • Levar o cão a passear nas horas de menos calor

  • Não o perder de vista

  • Não deixá-lo dentro do carro estacionado

  • Para trajetos longos de carro, ligar sempre o ar condicionado. Em caso de não ter, molhe o seu cão em zonas chave (nariz, pescoço, ventre e almofadas dos pés)

  • Utilizar coletes refrescantes para cão nos dias de maior exposição

  • Evitar fazê-lo caminhar pelo asfalto ou qualquer outro chão escuro ao sol.

Cães dentro do carro

Alguma vez se perguntou como se sente um cão fechado num carro num dia de calor? Em pouco tempo a temperatura pode subir até mais de 50ºC dentro do carro, independentemente de abrirmos ou não um pouco as janelas. São apenas necessários uns minutos para que o cão possa entrar em estado de choque.

Exterior

Interior

Recém estacionado. Janelas um pouco abertas

30º

30º

+ 10 minutos

30º

39º

Risco de golpe de calor

30º

43º

+ 30 minutos

30º

49º

Rácio de subida da temperatura num dia de calor e humidade altos: + 0,7º por minuto.

Quando viaja

Sempre que seja possível é melhor que o nosso animal nos acompanhe no comboio, barco ou avião. Se não, pergunte sempre em que condições estará, com especial precaução nas viagens de barco: nos porões não há refrigeração e os motores produzem muito calor.

Especial cuidado com os braquicefálicos

Os cães e gatos braquicefálicos são todos aqueles com o nariz achatado, tais como os Bulldog, os Pug, os Boxers ou gatos persas. A formação do seu aparato respiratório é diferente do normal (narinas mais pequenas, palato mole mais longo, língua maior, traqueia mais estreita) o que faz com que tenham muitas mais possibilidades de sofrer uma insolação que outras raças. Nestes casos devemos tomar medidas preventivas mais extremas durante o verão e nunca levá-los a passear nas horas mais quentes do dia.


Laura Pérez

Veterinária da Ortocanis

ortocanis.com