Causas da claudicação em cães jovens

As causas da claudicação do membro posterior em cães jovens são muito variadas. E, por isso, primeiro que tudo, é importante diferenciá-las de outros problemas como debilidade ou descoordenação de movimentos. Normalmente as causas da claudicação estão relacionadas com alterações no crescimento ou desequilíbrios alimentares. Neste artigo não trataremos as causas traumáticas (pancadas, caídas, atropelamentos, etc.).

Panosteíte ou Pano

Panosteitis canina

Definição:  doença inflamatória de alguns ossos. O osso mais afetado é geralmente o úmero.

A quem afeta? Mais frequentemente, cães jovens de raças grandes.

Sintomas: debilidade e/ou claudicação que podem ir mudando de membro.

Diagnóstico: radiografia, na qual se observam áreas mais “brancas” (radiotensas) no interior do osso.

Tratamento: anti-inflamatórios. Administrados quando o animal chega à idade adulta.





Osteocondrite dissecante

Osteocondritis dissecans en húmero de perro

Definição: É uma fissura da cartilagem articular em forma de aba que faz com que o líquido sinovial fique em contacto direto com o osso, provocando inflamação, claudicação e dor.

A quem afeta? Animais jovens (5-18 meses). Pode apresentar-se no ombro, cotovelo, joelho, tarso e carpo.

Sintomas: Claudicação, que piora depois de fazer exercício, e crepitações (barulhos de fricção) da articulação.

Diagnóstico: Radiografia.

Tratamento: cirúrgico. Devem utilizar-se anti-inflamatórios e condroprotetores.

Evolução: o seu curso é crónico. Ainda que a cirurgia melhore os sintomas, a articulação afetada tenderá a ter problemas de osteoartrite ao longo do tempo. Pode ajudar-se a retardar o processo com órteses que estabilizem a articulação. Por exemplo: protetor de cotovelo.

Displasia da anca

Displasia de cadera en perro

Definição: desenvolvimento anormal da anca, no qual a articulação não fica estável e produz inflamação, osteoartrite e dor.

A quem afeta? Aparece sobretudo em animais de grande porte e em algumas raças é predominante. Por exemplo, no Pastor Alemão.

Sintomas: No início os sintomas são a claudicação leve e alterações na maneira de caminhar e sentar. Ao longo do tempo, o quadro tende a piorar, podendo acontecer que o cão seja incapaz de se levantar.

Tratamento: pode ser cirúrgico ou médico (condroprotetores, anti-inflamatórios, suportes de anca para cão, dieta e fisioterapia). Em casos muito avançados pode ser necessário ajudar o cão a caminhar com arneses posteriores especiais ou cadeiras de rodas.




Necrose avascular da cabeça femoral

Necrosis avasular de la cabeza del fémur

Definição: também conhecida como doença de Legg-Calvé-Perthés em humanos. É uma destruição progressiva do osso da cabeça do fémur. As suas causas ainda não estão muito bem definidas.

A quem afeta: Cães jovens de raça pequena.

Sintomas: claudicação com apoio, mas sem carregar peso, e dor progressiva que passará de ligeira a intensa em um ou dois meses.

Diagnóstico: radiografia.

Tratamento: sempre cirúrgico. Elimina-se a cabeça femoral.




Luxação medial da patela

Luxación medial de rótula

Definição: a rótula sai do seu lugar normal no sulco do fémur e desloca-se para o meio. A causa pode ser genética, mas também pode ocorrer após um traumatismo.

A quem afeta: Animais jovens de raça pequena.

Sintomas: Observa-se um pequeno salto quando o cão anda.

Diagnóstico: sintomas e apalpação da articulação por parte do veterinário.

Tratamento: O tratamento passa pelo uso de anti-inflamatórios em períodos de dor, condroprotetores e órteses que ajudam a estabilizar a articulação: protetor de joelho. Os casos graves requerem cirurgia.

Infeções

Osteomielitis por infección

Definição: colonização do osso por parte de bactérias ou vírus. Geralmente, aparecem como consequência de feridas mal tratadas ou infeções em alguma outra parte do corpo que se espalharam. Provocam uma osteomielite que pode chegar a destruir o osso.

A quem afeta: Qualquer cão de qualquer idade.

Sintomas: claudicação súbita e muito dolorosa. Se há outro órgão afetado pode haver uma grande variedade de sintomas e febre.

Diagnóstico: punção articular para poder analisar-se o líquido sinovial.

Tratamento: lavagem articular e uso de anti-inflamatórios e antibióticos/antifúngicos específicos para o microorganismo causador da infeção. Os tratamentos são normalmente muito longos.





Osteodistrofia hipertrófica

Osteodistrofia ipertrofica

Definição: Crescimento anormal do osso. Em animais jovens é, geralmente, provocado por desequilíbrios na dieta.

A quem afeta: Cães jovens de raça grande.

Sintomas: Inchaço dos membros, claudicação, febre e muita dor.

Diagnóstico: radiografia.

Tratamento: Reequilibrar a dieta e administrar anti-inflamatórios para a dor. Pode demorar meses para solucionar-se.





Avulsão da crista tibial

Avulsione della cresta tibiale

Definição: separação da crista tibial. Não é muito frequente.

A quem afeta: entre as 4 e as 6 semanas em cães de raça grande e pequena.

Sintomas: claudicação súbita e elevação da rótula.

Diagnóstico: radiografia.

Tratamento: cirúrgico. Colocam-se dois pregos e uma banda de tensão metálica para voltar a unir o fragmento à tíbia.





Laura Pérez

Veterinária da Ortocanis

ortocanis.com