Um exame da classificação da displasia da anca canina

, ,

A avaliação fenotípica das ancas feita pela Fundação Ortopédica para os Animais enquadra-se em sete categorias diferentes. Essas categorias são Normais (Excelente, Boa, Justa) e Displástico (Leve, Moderado, Severo). Uma vez que cada um dos radiologistas classifica a anca em um dos 7 fenótipos acima, a nota final da anca é decidida por um consenso das 3 avaliações externas independentes. Exemplos seriam:

  1. Dois radiologistas relatados Excelente, um Bom – a nota final seria excelente
  2. Um radiologista relatou Excelente, um Bom, uma Feira – a nota final seria bom
  3. Um radiologista informou Fair, dois radiologistas relataram Mild – a nota final seria Leve

As notas da anca de Excelente, Bom e Justo estão dentro dos limites normais e recebem números OFA. Esta informação é aceite pela AKC em cães com identificação permanente (tatuagem, microchip) e está no domínio público. As radiografias das classes ancas Borderline, Mild, Moderate e Severamente displásicas são revistas pelo radiologista ofa e é gerado um relatório radiográfico que documenta os resultados radiográficos anormais. A menos que o proprietário tenha escolhido a base de dados aberta, as notas da anca displásica não estão no domínio público.

Excelente

Excelente: esta classificação é atribuída para uma conformação superior em comparação com outros animais da mesma idade e raça. Há uma bola sentada profunda (cabeça femoral) que se encaixa firmemente numa tomada bem formada (acetábulo) com espaço mínimo na articulação. Há uma cobertura quase completa da tomada sobre a bola.

Excellent Hips

Bom, bom.

Bom: ligeiramente menos do que superior, mas uma articulação da anca congruente bem formada é visualizada. A bola encaixa bem na tomada e está presente uma boa cobertura.

Good Hips

Feira

Feira: Atribuídas pequenas irregularidades na articulação da anca. A articulação da anca é mais larga que um bom fenótipo da anca. Isto deve-se ao facto de a bola ter escorregado ligeiramente para fora da tomada, causando um pequeno grau de incongruência articular. Pode também haver um ligeiro desvio interior da superfície de peso da tomada (aro acetabular dorsal) fazendo com que a tomada pareça ligeiramente rasa. Esta pode ser uma descoberta normal em algumas raças, no entanto, como a chinesa Shar Pei, Chow Chow e Poodle.

Fair Hips

Fronteira

Limite: não existe um consenso claro entre os radiologistas para colocar a anca numa determinada categoria de normal ou displástico. Há geralmente mais incongruência presente do que o que ocorre na pequena quantidade encontrada numa feira, mas não há alterações artríticas presentes que diagnosticem definitivamente a articulação da anca sendo displástica. Também pode haver uma projeção óssea presente em qualquer uma das áreas da anatomia da anca ilustrada acima que não pode ser avaliada com precisão como sendo uma mudança artrite anormal ou como uma variante anatómica normal para esse cão individual. Para aumentar a precisão de um diagnóstico correto, recomenda-se repetir as radiografias numa data posterior (normalmente 6 meses). Isto permite ao radiologista comparar o filme inicial com o mais recente filme ao longo de um determinado período de tempo e avaliar as mudanças artríticas progressivas que seriam esperadas se o cão fosse verdadeiramente displástico. A maioria dos cães com esta nota (mais de 50%) não mostra nenhuma alteração na conformação da anca ao longo do tempo e recebe uma classificação normal da anca; geralmente um fenótipo justo da anca.

Moderada

Displasia suave da anca: existe uma subluxação significativa presente onde a bola está parcialmente fora da tomada causando um espaço incongruente aumentado da articulação. A tomada é geralmente rasa apenas parcialmente cobrindo a bola. Normalmente não há alterações artríticas presentes com esta classificação e se o cão é jovem (24 a 30 meses de idade), há uma opção de reenviar uma radiografia quando o cão é mais velho para que possa ser reavaliado uma segunda vez. A maioria dos cães continuará displástica mostrando a progressão da doença com alterações artríticas precoces. Uma vez que a DH é uma doença crónica e progressiva, quanto mais velho o cão, mais preciso é o diagnóstico de HD (ou falta de HD).

Mild Dysplasia

Moderado

Displasia moderada da anca: existe uma subluxação significativa onde a bola mal está sentada numa tomada rasa causando incongruência articular. Há alterações ósseas artríticas secundárias geralmente ao longo do pescoço e da cabeça femorais (remodelação denominada), alterações da borda acetabular (osteófitos ou esporas ósseas) e vários graus de alterações do padrão ósseo trabecular chamadas esclerose. Uma vez que a artrite é relatada, só há progressão contínua da artrite ao longo do tempo.

Moderate Dysplasia

Grave

Displasia da anca severa: atribuída onde existem provas radiográficas de displasia marcada. Existe uma subluxação significativa presente onde a bola está parcial ou completamente fora de uma tomada rasa. Tal como o HD moderado, existem também grandes quantidades de alterações ósseas artríticas secundárias ao longo do pescoço e da cabeça femorais, alterações na borda acetabular e grandes quantidades de alterações anormais do padrão ósseo.

Outros registos de displasia da anca – Uma Aproximação

OFA FCI (Europeu) BVA (Reino Unido/Austrália) SV (Alemanha)
Excelente A-1 0-4 (não > 3/anca) Normal
Bom, bom. A-2 5-10 (não > 6/anca) Normal
Feira B-1 11-18 Normal
Fronteira B-2 19-25 Rápido Normal
Moderada C 26-35 Noch Zugelassen
Moderado D 36-50 Mittlere
Grave E 51-106 Rio Schwere

Fonte: Fundação Ortopédica para Animais

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


3 + = 9